segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Sou nordestino, não sou burro, sou livre...

Uma dica para os preconceituosos que não estão felizes com o resultado das eleições 2014: Façam o ENEM, matriculem-se em curso superior em uma das mais de 50 universidade federais, hoje isto é possível independente de sua condição socioeconômica e/ou cultural, em seguida concorra a uma vaga no programa Ciência sem fronteira e façam um favor ao Brasil, morem alguns meses no exterior com tudo pago pelo governo, deve ser muito fácil conheço até nordestino que estão tendo esta experiência, vocês acreditam?.
Brincadeiras a parte, devo dizer antes de qualquer coisa: NÃO SOU PETISTA, não sou tucano, não sou partidarista e reconheço a necessidade de uma “nova política”, não a da Marina tão velha quanto a do PT ou PSDB. Mas enquanto ela não vem o que me cabe desta democracia eu quero preservado. Poderia chegar à mesma conclusão a que chegaram os que sonharam com a necessária mudança, são burros os que não pensam como eu (?). Mas não, reconheço a capacidade reflexiva do povo que queria Aécio (com algumas exceções, claro)! Talvez por que esteja no meu segundo curso superior, diga-se de passagem os dois na era Lula e Dilma(uma informação acessória que talvez não acrescente nada, será?).  Poderia também questionar a inteligência das pessoas que acreditaram na “mudança” que de mudança não tinha nada, tanto que insistiu-se em dizer que os programas, os mesmos utilizados pela burguesia para justificar o voto nordestino, seriam mantidos. Como assim, produção? Não vou me estender na análise do programa de governo dos presidenciáveis, já passou e não é esta minha intenção por que respeito o direito à livre escolha de candidato, religião ou o que quer que seja. O que me deixa “fumando numa quenga” é o fato de agora questionarem minha capacidade intelectual e a da minha família e amigos, só por que acredito que não vivo numa ditadura então tenho liberdade para escolher em quem vou votar, mesmo que as maiores mídias do país estejam a serviço da eleição de um candidato de oposição, como ficou claro tanto no adiantamento em dois dias da edição da revista Veja, e muito mais claro ainda na edição de sábado do maior jornal televisivo do país. Só muito ingênuo ou muito apaixonadamente cedo para não perceber o que esfregaram na cara do povo nestes últimos dias de campanha, e não foi só a corrupção do governo não, a denúncia reproduzida de um depoimento à polícia não veio acompanhado de prova alguma. Esfregaram também na cara do povo a corrupção da mídia a serviço ou composta da burguesia que queria eleger seu burguesinho, talvez por que esteja cansada de dividir espaço com a classe trabalhadora, por que seus filhos não podem frequentar a mesma universidade dos filhos de sua empregada doméstica, jardineiro, motorista ou o catador de lixo. Prazer eu sou pobre, filho de pedreiro e lavadeira, nordestino, cearense e UNIVERSTÁRIO, parei pra pensar meu voto e no primeiro turno não votei Dilma, por que acreditei que havia opções mais interessantes, e estive livre, independente dos benefícios a que tenho acesso hoje. Sei que não são favores, portanto não me senti obrigado a votar em quem quer que seja. Mas o candidato do PSDB me vir agora falar de mudança, um candidato que usou seu estado de origem em todas as suas propagandas garantindo que construiu um paraíso. Se olharmos os números veremos que pelo visto esse paraíso não existe considerando sua derrota nos dois turnos.
Aos nordestinos que aderiram às propostas de Aécio, parabéns isto é democracia, mas por favor não me venham aqui falar de vergonha de ser nordestino, não assimilem o pior dos que não sabem perder. Primeiro por que não foi o nordeste apenas que elegeu a presidente, ou esquecem-se que houve votos contra seu candidato no sul e sudeste, no Rio e em Minas, por exemplo, a candidata eleita superou o derrotado. Depois por que talvez o número de nordestino tenha diminuído por ai (no sul e sudeste), isso por que nestes últimos anos é inegável que fomos mais vistos pelo governo federal. Qual é realmente o problema, lhes falta tapete? É isso que incomoda? Poderia aqui citar mais um motivo pelo qual não vamos sair daqui, também está faltando água, mas nossos governos mesmo com falhas e prioridades tortas não deixaram chegar ao caus a que chegaram suas regiões.
Sou nordestino, não sou burro, sou livre...

Enquanto isso no Ocioso...