E então Record, estupro ou racismo? Qual foi o crime no BBB?


Não quero com o que vou dizer acusar ninguém do que quer que seja, até por que de BBB eu prefiro tomar doses homeopáticas, nada além de alguns minutinhos depois de Fina Estampa. Bem, o que aconteceu debaixo do edredom entre Daniel e Monique, eu não sei, mas acredito que, mesmo havendo a possibilidade de ter sido crime, não foi tão constrangedor quanto a propaganda gratuita que a rede Record fez durante toda a manhã do dia 17 de janeiro. Por falar nisso, a Globo agradece aos programas de entretenimento e jornalismo da rede que trabalharam duro na cobertura exclusiva do suposto estupro na casa mais vigiada do Brasil. Como diria Lula “nunca na história deste país” uma televisão falou tanto da concorrência deixando um programa de formato já tão gasto como o Big Brother um pouco mais interessante.  
Como se não bastasse na quarta-feira dia 18, Morango [ex-BBB] foi convidada do programa Balanço Geral para comentar a polêmica. Quem é [se há] o culpado eu não sei, não me interessa saber, agora se a intenção da Rede Record é “manchar” a (já manchada) imagem da Rede Globo criando na cabeça das pessoas a ideia de que o programa é uma afronta a moral, devia antes olhar o próprio nariz, como afirmou [não com estas palavras] o apresentador Datena apontando o programa A Fazenda como não muito diferente: "E a Record tá falando mal, mas e aquela porcaria de A Fazenda lá? A diferença é que é atrás da moita" disse o apresentador na tarde desta terça-feira no Muito+ programa de Adriane Galisteu que também dedicou boa parte de seu tempo no ar falando do caso. Publicidade gratuita, se foi combinado nós não vamos saber, e mesmo não sendo com certeza a Globo está sabendo aproveitar a repercussão para que seus patrocinadores vendam bem mais bebida alcoólica, camisinha, carros e sei lá mais o quê.
Também em meio a toda essa história de estupro há quem acredite que tudo não passa de um ataque (tipo epilético) de racismo, tendo em vista que essa doença parece crônica na população brasileira. E aí Record, estupro ou racismo? Qual foi o crime no BBB?
Ninguém é inocente então, já que preconceito com a mulher também envergonha a população brasileira desde sua fundação. Pensem: se não houve estupro, foi racismo e quem disse que houve é racista. Se, porém houve o assédio, uma parte dos que duvidou foi machista, pois com certeza alimentava sua dúvida da beleza e modo de vestir de Monique, como se a roupa, a bebida ou o comportamento da mulher justificasse qualquer ato de violência.
Acorda galera, infelizmente nós aprendemos a criticar as consequências enquanto as causas estão sendo esquecidas intactas e não sofrem ameaça alguma. Por que a humanidade está assim? Isso ninguém quis saber, é mais fácil condenar que tentar corrigir. Acho que a gente precisa aprender a ler de novo...
Passa aqui, as vezes tem algo bom para ler!

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer com 25 reais? Pagar mico...

O cantor Belo provou que sempre dá para ficar melhor (?)

Blog de ouro? Valeu CAIO GOMES...