domingo, 22 de janeiro de 2012

E nós já fomos mais inteligentes


Quem, como eu, dedicou parte dos seus dias de férias às redes sociais deve lembrar que antes mesmo da estreia do Big Brother “bombaram” no Facebook campanhas antiBBB. Os supostos seres humanos superiores e consequentemente “odiadores” do reality fizeram a maior corrente a fim de que a rede social fosse isenta de assuntos em torno do programa. Muita gente viu, muita gente compartilhou e muita gente, inclusive da Globo, curtiu a ideia. Sim, a Globo curtiu, isso por que muita gente que não sabia foi informada da estreia do programa na terça-feira dia 10 de janeiro. E agora eles [os que odeiam] inclusive a Luiza que daqui a pouco volta para o Canadá (eu sei que não precisava fazer isso) continuam entupindo a rede do que eles mesmos lutaram contra. Bobões, falar mal de BBB também é falar de BBB e vocês continuam nessa propaganda gratuita?
Agora essa galera que cresceu vendo a Xuxa, a Angélica ou a TV Globinho, que chegava da escola às 17h30min correndo para assistir a Malhação, que ria pra caramba das Vídeos Cassetadas  no Faustão, sonhava com a casa ou o carro reformados no Caldeirão, a mesma galera que adora ouvir o boa noite educado antes da novela das oito no Jornal Nacional, está dizendo que a Globo quer comandar sua mente e por isso está propondo o dia longe dos programas da emissora . BINGO!!! Ela quer mesmo comandar sua mente, te persuadir, afinal, brasileiro ingênuo, televisão é negócio, programas são produtos e produtos precisam ser vendidos, a emissora tem que te fazer pensar que isto lhe é necessário. Mas deixa eu te contar um segredo, sabe aqueles livros vendidos de porta em porta que você pode pagar em até doze vezes com ou sem juros? Pois é, eu nunca comprei um. O segredo é esse, não quer o produto, não compra, então. Você ligou a televisão até agora por que quis e pode desligar na hora em que você quiser. Não precisa aderir a campanha nenhuma, basta fazer uso da inteligência que eu sei que você tem.
Quer saber o pior de tudo isso? É que a Record está se achando a “referência” e não é. Se o povo que aderiu a campanha “Um dia sem Globo” fizesse uso da inteligência posta em dúvida pelo jornalista Carlos Nascimento entenderia que, se o que a gente quer é entretenimento de qualidade, a gente não tinha era que ligar a televisão em canal nenhum, é tudo cópia (e piorada). O que são esses Top10 da internet senão as boas e velhas Vídeo Cassetadas e mais alguma coisinha curiosa aqui ou ali? O que são essas casas reformadas senão o lar doce lar já realizado no Caldeirão do Huck? O que é A Fazenda senão um BBB para subcelebridades? Acorda povo! Não é assim que vocês vão ter qualidade na televisão. Só estão tentando fazer da Record uma Globo que ela não pode e nem precisa ser. Pensa: Não seria mais interessante [e lógico] se a Record e as outras televisões oferecessem outro produto e não o mesmo que nos é proposto todo o dia na outra emissora? Eles não criam por que você está perdendo tempo querendo digerir a mesma coisa, mas agora feita por outras mãos. Acredite, é mais barato e cômodo para eles.
Por fim devo dizer que não estou defendendo a Globo, só não consigo ver lógica nas reivindicações, não queria dizer isso, mas “nós já fomos mais inteligentes” (Carlos Nascimento). Um dia sem Globo vai representar o quê? Aos cofres da emissora eu sei que muito, mas bobão, no outro dia você vai ligar a televisão e não vai para outro canal senão a Globo e se for uma pessoa sensata vai ter vergonha do que compartilhou na rede. 
#Eu só queria um pouco de sensatez na internet, é pedir muito?

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

E então Record, estupro ou racismo? Qual foi o crime no BBB?


Não quero com o que vou dizer acusar ninguém do que quer que seja, até por que de BBB eu prefiro tomar doses homeopáticas, nada além de alguns minutinhos depois de Fina Estampa. Bem, o que aconteceu debaixo do edredom entre Daniel e Monique, eu não sei, mas acredito que, mesmo havendo a possibilidade de ter sido crime, não foi tão constrangedor quanto a propaganda gratuita que a rede Record fez durante toda a manhã do dia 17 de janeiro. Por falar nisso, a Globo agradece aos programas de entretenimento e jornalismo da rede que trabalharam duro na cobertura exclusiva do suposto estupro na casa mais vigiada do Brasil. Como diria Lula “nunca na história deste país” uma televisão falou tanto da concorrência deixando um programa de formato já tão gasto como o Big Brother um pouco mais interessante.  
Como se não bastasse na quarta-feira dia 18, Morango [ex-BBB] foi convidada do programa Balanço Geral para comentar a polêmica. Quem é [se há] o culpado eu não sei, não me interessa saber, agora se a intenção da Rede Record é “manchar” a (já manchada) imagem da Rede Globo criando na cabeça das pessoas a ideia de que o programa é uma afronta a moral, devia antes olhar o próprio nariz, como afirmou [não com estas palavras] o apresentador Datena apontando o programa A Fazenda como não muito diferente: "E a Record tá falando mal, mas e aquela porcaria de A Fazenda lá? A diferença é que é atrás da moita" disse o apresentador na tarde desta terça-feira no Muito+ programa de Adriane Galisteu que também dedicou boa parte de seu tempo no ar falando do caso. Publicidade gratuita, se foi combinado nós não vamos saber, e mesmo não sendo com certeza a Globo está sabendo aproveitar a repercussão para que seus patrocinadores vendam bem mais bebida alcoólica, camisinha, carros e sei lá mais o quê.
Também em meio a toda essa história de estupro há quem acredite que tudo não passa de um ataque (tipo epilético) de racismo, tendo em vista que essa doença parece crônica na população brasileira. E aí Record, estupro ou racismo? Qual foi o crime no BBB?
Ninguém é inocente então, já que preconceito com a mulher também envergonha a população brasileira desde sua fundação. Pensem: se não houve estupro, foi racismo e quem disse que houve é racista. Se, porém houve o assédio, uma parte dos que duvidou foi machista, pois com certeza alimentava sua dúvida da beleza e modo de vestir de Monique, como se a roupa, a bebida ou o comportamento da mulher justificasse qualquer ato de violência.
Acorda galera, infelizmente nós aprendemos a criticar as consequências enquanto as causas estão sendo esquecidas intactas e não sofrem ameaça alguma. Por que a humanidade está assim? Isso ninguém quis saber, é mais fácil condenar que tentar corrigir. Acho que a gente precisa aprender a ler de novo...
Passa aqui, as vezes tem algo bom para ler!

domingo, 15 de janeiro de 2012

Descansar na rede [Social]...


Analisando o perfil do jovem do século XXI fica fácil entender por que a galera está tão “maluca”, tão vazia, tão superficial. Não fui muito longe para entender isso, só olhei no espelho e vi no que estava me tornando. Meu Deus! Se é feriado gasto boa parte do dia no Facebook, e se finalmente tenho férias também perco horas em frente ao computador fazendo coisa nenhuma na rede social. Na verdade passo horas rindo (rsrsrsr...) das imbecilidades divulgadas nos status dessa gente de cabeça vazia.
Não seria tão ruim se as pessoas usassem a rede para divulgar coisas mais interessantes que: “Bom dia acabei de acordar”, “Boa tarde vou almoçar”, “Boa noite vou tomar banho”, “Cansadão vou dormir” [e amanhã postar a mesma coisa novamente], esses não são os piores, há quem narre sua ida ao banheiro e as merdas que fazem fora dele. Ainda há os que forjam certa intelectualidade citando autores que nunca leram na vida, mas “frases de efeito” é tudo que algumas pessoas conseguem “pensar” com a ajuda do grande pensador Google.
Por falar em "pensar" a culpa de tanta merda na rede é do próprio Facebook, sabia? Por que diabos ele tinha que perguntar o que as pessoas estão pensando? Isso explica duas coisas: 1) As pesquisas por frases supostamente inteligentes no Google e 2) As porcaria que postam quando não realizam a pesquisa, afinal quando não se tem nada na cabeça é impossível pensar algo que preste.
Pior é que essa gente agora resolveu reclamar qualidade intelectual e moral na televisão brasileira. Com certeza eu concordo, até quando resolvem reivindicar cometendo erros agressivos de português, afinal o importante é a mensagem ser entendida [como diria um piedoso linguista], mas se queremos qualidade nos BBB’s, Fazendas e Ídolos nas televisões, que tal nos preocuparmos antes com a qualidade da nossa escrita na internet, todo mundo lê, chega a ser constrangedor. E não é só por que a educação no Brasil é ruim, é por que se perde muito tempo vendo BBB’s, Fazendas e Ídolos para depois criticar no Facebook e parecer esperto. Quer uma dica? Não gosta de BBB? A programação da TV aberta está um lixo? Faz favor, a você e a tua língua, vai ler um livro.
* Você tem direito de não gostar do que está escrito aqui, fica a vontade para sair e procurar coisa mais interessante para fazer. Mas se gostou comenta então.

Enquanto isso no Ocioso...