domingo, 21 de agosto de 2011

Quantos devem morrer para a novela ser boa?

Por que se assiste a uma novela? Não sei você, mas eu assisto (de vez em quando) por que procuro entretenimento. E o que é entretenimento? Segundo o dicionário on-line Priberam entretenimento é: brincadeira, divertimento, distração. Pois bem, em Insensato Coração tudo isso (brincadeira, divertimento e distração) foi sinônimo de morte. Quanto mais morte mais você se diverte e se distrai. Brincadeira legal para as 9 da noite, não acham? Eu não. Cansei de ver minha mãe indo deitar dizendo que não ia mais assistir (tudo bem, ela continuava assistindo e por vontade própria), mas dizia já estar sentindo medo da novela. Pior é que aqueles que não morriam de tiro ou acidente morriam de alguma doença, não interessa como, o importante era morrer para garantir a diversão. 
Sem falar na sensação de impotência que foi despertada quando de dentro da cadeia o banqueiro continuou forte para decidir sobre a vida e a morte das pessoas, além do fato de os maiores criminosos da novela pagar com a morte pelos crimes que cometeram (eu acho pouco). Devia ter bombado no Twitter a HashTag #NovelaIdiota na noite de sexta.
Pior que essa novela, que até o seu final contabilizou 25 divertidíssimas mortes, foram as palavras do gayvernador do estado do Ceará Cid Gomes sobre a greve dos professores estaduais: “Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado" , (Tá de deboche? Aii como ele tá bandido!!!) a fala motivou uma campanha no Facebook, agora apoiada pelo Papo de Um Garoto, propondo ao governador que doe seu salário e governe por gosto, por amor.
Isso é que é valorizar o profissional, não é? O cidadão que vai formar o advogado, o médico, o ladrão, digo, o político, deve trabalhar por amor. Bonito isso. Mas por amor a quem? O senhor governador já experimentou viver um mês com o salário de um professor? Acho que não, por que o profissional que se gasta trabalhando na educação neste estado e se conforma com o salário que lhe pagam, das duas uma, ou não tem família ou não tem amor por ela. Com esse salário não ia ter Rally nem em rodovia de "bairro" quanto mais federal...
Triste é olhar para o Brasil e ver que o político mal formado ou o jogador de futebol que só aprendeu a escrever o nome, ganha cem vezes mais que o professor em constante formação. Não digo isso por que acho que eles devem ganhar menos, digo por que acho justo o professor ganhar mais.
Trabalhar por amor não é “pra qualquer um”, mas trabalhar com “amor” é especialidade de um casal de oficiais da África do Sul. Ela policial e ele agente penitenciário tinham a missão de transportar e cuidar de um presidiário que precisou fazer exames, mas os dois também quiseram brincar de médico e resolveram aproveitar que o prisioneiro estava debilitado não oferendo risco e deram a fugidinha pra fazer “amor” no hospital, infelizmente o vídeo filmado pelo próprio agente penitenciário foi divulgado na rede não se sabe por quem. A policial que é (ou era) noiva e o agente penitenciário foram demitidos, o que é uma pena, mas é isso, quando se resolve fazer as coisas com amor é assim que retribuem. Não é senhor governador?
É por isso que nas próximas eleições: Para descascar o abacaxi vote Natalie.
Fonte: R7

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A Gaga continua

Michael Jackson, Amy Winehouse e Lacraia morreram e quem assombra é a exótica Lady Gaga. 
Galera concordem, que personagem ridículo a Stefani Joanne Angelina Germanotta criou para ser notada e se tornar imortal. Sim a intensão é se tornar imortal, e até seria bacana se o comportamento fosse um pouco mais sensato. 
Não será tão impactante se agora recordar o vestido de saco de lixo, o de carne vermelha ou a entrada bizarra em uma premiação dentro de um ovo. Por isso para exemplificar o que estou dizendo deixarei que algumas imagens falem por mim: 


Um palhaço se torna mais chique e discreto do lado da cantora. Comportamento descomunal como o de Lady Gaga desperta dúvidas sobre a existência de vida em outro planeta. É possível que não estejamos tratando de um ser humano, talvez a moça seja o primeiro extraterrestre a conviver com os homens na história da humanidade.Na verdade preciso voltar atrás, ela não é o primeiro extraterrestre a conviver com homens, afinal gostar de Lady gaga é o primeiro sintoma da "vi@dagem", logo ela está cercada de pessoas especiais que se recusam atender por homem.


Tudo bem ela pode ser sim um ser humano, há momentos em que é possível acreditar nisso, mas está mais para travestir do que para mulher, não acham?


Enquanto isso no Ocioso...