quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Isso é um assalto...Vai logo! Me dê uma esmola por favor...

Imagina a cena! Você parado numa praça quase deserta e de repente um garoto com aparentemente 16 ou 17 anos, um pouco mal vestido e sujo, desconfiado, com um visível desconforto se aproxima da pessoa no outro lado sussurra algumas palavras e recebe de resposta uma moeda. Esse mesmo garoto pensa um pouco antes de se aproximar da sua pessoa e você....

1. Se for um garoto já imagina: “É um trombadinha tá só esperando a hora de anunciar o assalto”. Mesmo que não tenha um centavo no bolso imagina o que pode perder em poucos minutos, prepara imediatamente uma reação (ou não), para você é questão de tempo e enquanto o garoto se aproxima você se sente cada vez mais ameaçado, mas não vai deixar barato vai ser tão macho quanto ele.

2. Se for uma garota: você teme em dobro, mas seu coração de garota vê naquele garoto alguém que precisa de ajuda, você também se sente ameaçada, mesmo acreditando na inocência do individuo, coisa de garota, elas se sentem ameaçadas por uma barata, um sapo as faz berrar e quebrar uma unha é o fim do mundo, mas não tem o que fazer, reagir nem passa pela sua cabeça em todos os momentos você é a vítima.

Que prática está expressa na reação das possíveis personagens?

a) Preconceito

b) Discernimento

c) Nenhuma das anteriores (F#d@ essa opção, eu sei! Se não é nenhuma das alternativas o que devemos estudar então? O que não foi o descobrimento do Brasil? O que não é um verbo? Ou quanto não é 2 + 2, eu sei que não é 5, nem 6, nem 7...)

Critiquei, mas a opção correta é a “C”,   isso por que o garoto existiu, ele não quis me roubar, até foi compreensivo quando disse não ter um centavo sequer no bolso, o que não é difícil de acreditar, ele realmente precisava de ajuda, melhor, ele queria a moeda que eu pudesse dar, mas não por que precisava comprar um prato de comida ou coisa do tipo, mas por que estava na hora de fumar o cigarro do meio dia. O que ele faria com mais moedas? Compraria um cigarro mais caro? Não sei, não vou julgar, mas uma coisa eu aprendi, discernimento e caridade caminham juntos, e não é nada caridoso ajudar uma criatura ignorante a acabar com seu pulmão.

Com relação ao preconceito quero deixar claro que sou totalmente contra, não só contra o preconceito(enquanto atitude) como também o preconceito julgamento, dizer o que as pessoas são antes de conhecê-las de verdade é muito pobre para não dizer podre, e isso muitas vezes não se aplica, quer um exemplo? Dizem que todo São paulino é gay, mas o Luan Santana é conrinthiano, e ai? Dizem que toda loira tem QI muito inferior ao das morenzas, porém Luciana Gimenez não é loira , e por aí vai... É brincadeira...

Enquanto isso no Ocioso...